É comum ter mais prisão de ventre quando envelhecemos? Entenda a relação

À medida que envelhecemos, passamos por diversas fases que podem trazer desconfortos abdominais. Isso é perfeitamente normal! A prisão de ventre é um sintoma intestinal frequentemente relatado por idosos e pode ter um impacto considerável na qualidade de vida.1 Interpretar o que está acontecendo com nosso corpo é o primeiro passo para nos sentirmos melhor.

À medida que envelhecemos, nosso corpo passa por diversas mudanças, e isso é perfeitamente normal. Entretanto, algumas delas podem resultar em desconfortos abdominais, entre eles a prisão de ventre1,2.

O quadro de constipação em idosos é algo frequentemente relatado e pode ter um impacto considerável na qualidade de vida de quem encara esse problema1. Entender o que acontece com o corpo com o passar o tempo é o primeiro passo para buscar alívio para a prisão de ventre e se sentir melhor.

Causas da constipação em idosos

Envelhecer significa ter que aprender a lidar com novos sinais de nosso corpo. E não se assuste, os casos de prisão de ventre tendem a aumentar, especialmente após os 65 anos.

A causa da constipação em idosos é, muitas vezes, multifatorial. Questões como inatividade (falta de uma atividade física); dieta inadequada; depressão; confusão; uso de certos medicamentos e distúrbios que afetam o sistema nervoso dos intestinos, responsável por estimular os músculos intestinais que movem o alimento através do sistema digestivo, podem estar envolvidas em quadros de prisão de ventre.1,3,4

Veja mais detalhes dessa relação entre envelhecimento e constipação:

Nosso sistema digestivo envelhece conosco

Conforme ficamos mais velhos, o processo de digestão fica mais lento. Com isso, o intestino passa a levar mais tempo para mover o alimento, o que pode desencadear a prisão de ventre.1

Medicação pode causar constipação em idosos

Algumas medicações usadas a longo prazo, algo comum entre idosos, podem provocar prisão de ventre como efeito colateral.5

Mudanças nos hábitos podem deixar o intestino preso

Pessoas em idade mais avançada tendem a se exercitar menos e seus hábitos alimentares podem se alterar ao longo do tempo, gerando mudanças que, a longo prazo, podem impactar o sistema digestivo e levar a quadros de constipação.2

O que acontece com nosso corpo à medida que envelhecemos?

Prisão de ventre pode ser sinal de mudanças acontecendo em nosso corpo e, à medida que envelhecemos, esses sinais podem estar ligados a diferentes fatores1,2. Entenda em detalhes o que acontece com o organismo conforme a idade chega e o impacto disso na saúde intestinal.

Algumas dicas para fazer as coisas andarem também na 3a idade

Existe uma série de medidas simples que podemos levar em conta e experimentar em qualquer fase da vida, até na terceira idade, a fim de prevenir ou eliminar sintomas da prisão de ventre. Saiba mais:

Dulco® conjunto de soluções para a constipação

Os produtos Dulco® trazem alívio para a prisão de ventre e ajudam o movimento do seu sistema digestivo. Eles contam com diferentes ações: suave e previsível. Assim, você pode se sentir livre e revigorado de novo!


Fique por dentro com Dulco®

Os sintomas da constipação podem ser extremamente incômodos e persistentes. Sabemos o quão frustrante e estressante é ter o intestino preso e sofrer com inchaço abdominal e desconfortos na região da barriga. Estamos prontos para te ajudar a identificar e prevenir a prisão de ventre.

    1. De Giorgio R, Ruggeri E, Stanghellini V, Eusebi LH, Bazzoli F, Chiarioni G. Chronic constipation in the elderly: a primer for the gastroenterologist. BMC Gastroenterol. 2015 Oct 14;15:130.

    2. Müller-Lissner SA, Kamm MA, Scarpignato C, Wald A. Myths and misconceptions about chronic constipation. Am J Gastroenterol. 2005 Jan;100(1):232-42.

    3. Schuster BG, Kosar L, Kamrul R. Constipation in older adults: stepwise approach to keep things moving. Can Fam Physician. 2015;61(2):152-158.

    4. Bharucha AE, Lacy BE. Mechanisms, Evaluation, and Management of Chronic Constipation. Gastroenterology. 2020 Apr;158(5):1232-1249.e3. doi: 10.1053/j.gastro.2019.12.034. https://doi.org/10.1053/j.gastro.2019.12.034

    5. Camilleri M, Ford AC, Mawe GM, Dinning PG, Rao SS, Chey WD, Simrén M, Lembo A, Young-Fadok TM, Chang L. Chronic constipation. Nat Rev Dis Primers. 2017 Dec 14;3:17095.

    6. Basilisco G, Coletta M. Chronic constipation: a critical review. Dig Liver Dis. 2013 Nov;45(11):886-93.

    7. John Hopkins Medicine. Health conditions and diseases – Constipation. 2021. https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/constipation

    8. Mayo Clinic 2019 https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/constipation/symptoms-causes/syc-20354253

    9. World Gastroenterology Organisation. Coping with common gastrointestinal symptoms in the community: a global perspective on heartburn, constipation, bloating, and abdominal pain/discomfort May 2013. J Clin Gastroenterol. 2014 Aug;48(7):567-78.

    10. U.S. Department of Health and Human Services National Institutes of Health (NIH) – National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (NIDDK). Constipation. 2018 https://www.niddk.nih.gov/health-information/digestive-diseases/constipation/definition-facts

    DULCOLAX® (bisacodil). Indicação: casos de constipação intestinal, no preparo para procedimentos diagnósticos, no pré e pós-operatório e em condições que exigem uma evacuação facilitada. MS 1.8326.0401. DULCOLAX® GOTAS (picossulfato de sódio). Indicação: para o tratamento da constipação e para facilitar a evacuação intestinal. MS 1.8326.0476. O USO DO MEDICAMENTO PODE TRAZER ALGUNS RISCOS. Leia atentamente a bula. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.